segunda-feira, 1 de março de 2010

Verdurificina

Este vídeo foi feito por um companheiro de trabalho enquanto eu estava de férias. Não sei se foi feito exclusivamente para mim (acho que não), mas quando eu voltei a trabalhar, todos queriam me contar que essa produção havia sido feita.

**** LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE VER O VÍDEO ****

Eu não sabia que incomodava tanto, achava que falava pouco sobre vegetarianismo por lá, mas acho que me enganei. O fato é que dentre 90 pessoas, eu sou o único vegetariano. Antes de lerem meu texto, por favor, vejam o vídeo.

Não sei se vocês conseguirão ver tudo porque não é tão engraçado assim. Quando me mostraram, nem a pessoa que me mostrou aguentou ver tudo.



Você conseguiu ver o vídeo até o fim? Eu já tentei duas vezes, mas não consigo. De qualquer forma, tenho que dar algum crédito ao meu colega porque ele fez 9 minutos de vídeo e eu sei que isso da trabalho porque faço vídeos as vezes.

Ele até achou algumas cenas engradas, mas são poucas. Nada que suporte os 9 minutos intermináveis de vídeo. Fico imaginando quando tempo ele levou procurando essas imagens e trechos de vídeos para colocar ai. Nossa, que trabalhão

Mas vamos ao que eu vim dizer. O fato é que o cara viu alguns vídeos como a Carne é Fraca ou Terráqueos e viu parcialmente. Se informou um pouco sobre o assunto e obviamente se acha profundo conhecedor da matéria, o que não é verdade.

O vídeo trás "argumentos manjados" que costumamos ouvir sempre. Alias, estamos cansados de ouvir. Argumentos que até eu mesmo usei quando era ignorante em relação ao assunto. Quando fui apresentado ao vegetarianimos e as razões que levavam as pessoas a serem vegetarianas, eu também lutei contra. Negar costuma ser a resposta mais previsível do ser humano. E para negar, buscamos mil argumentos, até aqueles que não fazem sentido.

Algumas pessoas mais iluminadas chegaram a essa conclusão sozinhas, mas outras, como eu, não. Tiveram que me falar, que me dizer. Eu não enxergava sozinho e ei sei como é ser assim. Nós usamos tudo que podemos para nos manter acomodados. Ninguém quer perder algo que gosta.

Como exemplo de argumentos estúpidos (só 1 exemplo), temos o "abate sem dor". Sim claro, é perfeitamente possível abater um mamífero sem dor e sem contaminar a carne. Brincadeiras a parte, alguém que diz isso não tem a menor noção do que fala. Vá a um abatedouro ver 10 abates sem dor e saia de lá diretamente para a churrascaria. Faça isso e depois converse comigo.

O problema dessas pessoas é que elas não entendem os motivos que me levaram a ser vegetariano. Não é porque eu quero emagrecer, nem porque quero ser mais saudável. O princípio básico é que eu consegui entender que animais sofrem tanto quanto a gente. E eu detesto sentir dor e detesto sofrer. Além disso, também dou valor a minha vida e gostaria que ela fosse a melhor possível. Ainda tem outras coisas que vou comentar em um próximo post.

Mas basicamente, eu não quero privar outros seres das coisas que eu gostaria de ter e sentir. Nem fazê-los passar pelo que eu não gostaria de passar. Esse é o ponto.

Eu tenho um amigo de infância que já me ouviu falar desse assunto várias vezes, mas ele me diz: "Olha, eu sei que você está certo, mas eu prefiro não pensar nisso. Eu não quero ver, nem saber dessas coisas. Eu gosto de comer carne."

E eu respondi para ele: "Tudo bem, você já entendeu o que eu queria te mostrar e fez sua escolha, você está ciente da sua decisão."

E esse é o meu objetivo, que as pessoas saibam o que estão fazendo, que saibam o que acontece e aí tomem a decisão que acharem correta. Cada um deve assumir o que faz e aceitar as consequências. Não devem ficar se escondendo atrás de argumentos estúpidos.

Não quero me alongar muito no post, mas é isso. Quem quiser conversar com o gênio que fez o vídeo, pode deixar um comentário lá no YouTube ou visitar o link do Blog dele, que está logo ai a baixo.

http://blog.brasilacademico.com/2010/01/diga-nao-verdurificina.html
Postar um comentário

Outros posts do Cozinha Veg

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...