terça-feira, 25 de agosto de 2009

Você Ainda Come Carne? É Porque Não Viu o Suficiente!

Este é um texto do início do ano, que estava no site que estamos desativando. Então, estou trazendo para cá. Acho que vale a leitura.

-------------------------------------------------------------------------

Nos últimos dias, passei por uma experiência que me deixou mais fortalecido por dentro e cada vez mais convicto a respeito do vegetrianismo / veganismo. E resolvi escrever mais um artigo. Eu queria perguntar as pessoas que ainda comem carne se elas já viram a realidade do que acontece, mas eu sei que não viram e pior, muitas delas não possuem coragem de ver. Outras, mesmo vendo, não vão se sensibilizar. Um filme mostrando cenas é bom, mas alguns não conseguem perceber a realidade da coisa, parece ficção. Até mesmo quem compreende a realidade dos animais, normalmente não tem a exata nossão do que ocorre.

Um filme não envolve todos os sentidos, não traz o cheiro, não te enxe com a energia do lugar. Não te permite tocar o animal morrendo. Você não olha nos olhos dele para sentir sua dor. E foi isso que aconteceu comigo. Vimos um animalzinho chamado Misha, que cuidavamos com muito carinho, ainda filhote, com os olhos mal abertos, morrer na nossa frente. Ela vinha sofrendo a vários dias com um problema intestinal grave, não comia, não dormia, passava 100% de seu tempo se debatendo e miando, com contrações abdominais, lutando para sobreviver. Nós decidimos acabar com o sofrimento, mas não foi fácil. Até ai as coisas deram errado, mas depois de uns minutos, ela se foi. Ainda bem que ela se foi. Talvez, mais bem para nós do que para ela. Talvez ela também tenha ficado aliviada. Não sabemos.

Um dia, quando seu animal de estimação estiver muito doente, não o entregue ao veterinário. Leve-o lá, fique junto, ajude a aplicar os remédios, acompanhe todo o processo. Veja seus momentos de alívio e sofrimento. Compare tudo o que você viu com a vida que ele teve enquanto estava ao seu lado, ou que ele viria a ter se sobrevivesse. Sinta a dor que ele sente. Fique sempre bem perto. Deixe de dormir para cuidar dele como se fosse seu filho, afinal, é uma vida como a sua. Depois disso, quando tudo passar, sendo o final bom ou ruim, pense em tudo o que aconteceu, mas coloque-se no lugar dele. Imagine-se sentindo a mesma coisa que ele sentiu. Os remédios, as injeções, os sentimentos, frio, calor, tudo. Pense que era você em um hospital passando pelos mesmos procedimentos. Pense nas coisas que você gostaria que fossem feitas com você naquele momento e nas quais não gostaria. Eu garanto que se você realmente fizer esse exercício, ou vai se sentir aliviado por ter feito de tudo para seu bichinho viver, ou vai ficar muito, muito triste por saber que um monte de coisas que fizeram com ele não deveriam ser feitas com ninguém. Talvez, você mesmo não tenha feito tudo que podia.

Quando entender tudo o que aconteceu, lembre-se que todos os dias, muitos animais. Um número incontável deles morre de uma forma muito pior. Sem ninguém que os queira bem por perto. E não morrem instântaneamente como se diz. Eles passam por muita dor, muito sofrimento. Coisas que você, protegido do resto do mundo, nem sabe. O que você viu quando seu bichinho estava muito doente, agonizando, não é nada. Ele estava confortável, tinha o seu carinho e sabia que seu dono estava lá para tentar salvá-lo. Se foi salvo, ele sabe disso mais do que nunca. Os animais abatidos não possuem nada disso. Eles estão saudáveis e entram em uma fila. Sentem o cheiro do sangue dos que estão na frente. Conseguem vê-los morrer enquanto esperam a sua vez.

Pegue a dor do seu bichinho e imagine que não só ele, mas todos os outros sentem a mesma coisa. Cada boi, porco e galinha, sente exatamente a mesma coisa que o seu animal de estimação e que você sente. Se você tiver coragem suficiente para fazer isso, o que é bem difícil, eu te garanto, você não comerá mais carne. Se você não tem um animal de estimação, quando um parente seu estiver mal de saúde, converse com ele, pergunte como é, acompanhe, veja seus momentos finais. Pode ter certeza, a dor é mesma para ele, para um macaco, um boi, ou um cachorro. Faça o mesmo exercício depois, imagine-se sofrendo como seu parente. Depois, pense que os animais passam exatamente pela mesma dor.

Se você leu até aqui, é porque tem alguma coragem, mais do que a maioria. Mas o maior ato de bravura não será observar tudo que eu falei, nem se colocar dentro da situação vivida pelo animal, mas sim, assumir que você é responsável por esse sofrimento em muitos animais. Você é tão responsável pelas mortes deles quanto o presidente americano é pelas mortes no iraque. Se você não comer, um animal não será morto. Compreende isso?

Para deixar claro o meu ponto de vista, lembre do filme Tropa de Elite. Quando os policiais invadem o morro e matam dois ou três traficantes que conversavam com consumidores em uma praça. Depois do abate, eles pegam os meninos usuários e "gentilmente" os perguntam se eles viram quem havia matado aqueles homens. Eles dizem que não viram. O policial repete a pergunta, um pouco menos gentil dessa vez. E os meninos respondem que foram eles, os policiais. O capitão fala ao jovem viciado: "não, foi você seu bosta, você matou esses homens, você financia o tráfico". O tráfico de drogas só existe porque pessoas compram drogas. Só matam animais porque pessoas ainda comem carne.
Postar um comentário

Outros posts do Cozinha Veg

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...